A menos de 15 dias para o fechamento da janela de transferências, o sentimento de todo torcedor Red é de preocupação. Preocupação esta minimizada pelo técnico Jürgen Kloop. Nas últimas entrevistas, nosso comandante afirmou que está satisfeito com o elenco que tem em mãos. Tais declarações me levam a uma conclusão: o alemão só pode estar querendo valorizar os jogadores do plantel. Não há outra explicação.

Estamos prestes a perder nosso principal jogador – sim, por mais que o clube tenha rejeitado três ofertas do Barcelona pelo Coutinho, é difícil imaginar que ele permaneça em Anfield para esta temporada. Das nossas três contratações até o momento, apenas uma (a de Salah) foi para o time titular. As outras duas (Robertson e Solanke) parecem ser apenas para compor elenco.

O que mais me preocupa nas declarações do Klopp é perceber que, de fato, ele pode estar satisfeito com o plantel. Me chama a atenção o modo passivo com que o alemão está lidando com o mercado e encarando esta janela de transferências. O zagueiro do Southampton, Virgil Van Dijk, e o centro-campista do RBL, Naby Keïta, principais alvos do comandante Red neste verão, estão cada vez mais distantes – para não dizer inalcançáveis.



Ok, compreendo que o mercado está difícil, as cifras pedidas pelos jogadores são cada vez mais exorbitantes e blá blá blá. Mas, se não deu certo com Van Dijk e Keïta, nada mais óbvio do que partir para outras alternativas. E esse é um outro ponto que me deixou perplexo com o nosso comandante: a ausência de um plano b. Parece que Klopp não se preparou para esta janela de transferências e, já que seus alvos não vieram, ninguém mais serve.

Não precisa ser um gênio para saber que precisamos de um zagueiro que chegue para ser titular. Essa talvez seja a nossa maior prioridade no momento, principalmente após o começo de temporada titubeante de Dejan Lovren. Klopp, porém, andou pedindo para os repórteres citarem ao menos cinco nomes capazes de integrar a onzena inicial vermelha. Lá vai: Giménez, Romagnoli, Rugani, Jemerson, Höwedes...

Também sinto falta de um centroavante, um exímio fazedor de gols. As duas primeiras partidas da temporada me deixaram preocupado. Criamos bastante, mas na hora de empurrar a bola para o fundo da rede tivemos problema. Hoje, nosso 9 é Roberto Firmino, um jogador que nunca foi um grande artilheiro. Até faz seus golzinhos, contudo, é mais um preparador de jogadas.

Espero, de verdade, que nosso comandante esteja satisfeito dá boca para fora. Temos limitações e é obrigação dele tratar de minimizá-las. Desta vez, dinheiro não é problema. É bom que Klopp encontre alternativas para seus negócios frustrados e contrate, pelo menos, mais duas peças para esta temporada que, apesar de estar no começo, deixou todo torcedor Red preocupado com o que viu até o momento.

YNWA!

Por André Tobias. / Contatos: facebook.com/andrettobias - Twitter @andrettobias