Texto por Colaborador: Redação 12/02/2024 - 00:10

O chefe da Premier League, Richard Masters, está sob ataque – com um grupo de clubes se opondo à sua liderança em várias questões.

O Daily Mail relata que Manchester City, Newcastle, Chelsea, Everton, Nottingham Forest e Sheffield United votaram contra a Premier League em uma recente assembleia de acionistas. Crystal Palace e Burnley supostamente se abstiveram.

No início deste mês, Richards disse que seria discutida a mudança das regras de Lucratividade e Sustentabilidade para um modelo de “taxa de custo de elenco”. Ele disse a um Comité Parlamentar Seleto que, como até 35 por cento dos clubes da liga jogam futebol continental todas as temporadas e já têm de cumprir as leis da UEFA, seriam feitas considerações sobre se a liga mais ampla poderia seguir o exemplo.

Sete dos clubes que não apoiaram a introdução de novas regras de transação entre partes associadas (APT) pela Premier League estavam entre os oito que rejeitaram propostas para proibir transferências de empréstimos em novembro passado. Dois terços dos 18 votos expressos foram a favor do endurecimento das regras do APT.

O argumento pode continuar, já que foi dito que o City está considerando uma ação legal contra a Premier League, alegando que as restrições violam a lei da concorrência. Os Wolves, por outro lado, teriam votado a favor, tendo anteriormente se oposto às regras destinadas a impedir os clubes de assinarem acordos comerciais com empresas relacionadas a preços inflacionados.

Em novembro passado, Wolves, City, Newcastle, Chelsea, Everton , Forest, Sheffield United e Burnley interromperam a proibição de empréstimos entre clubes que fazem parte do mesmo grupo proprietário. Acredita-se que os Wolves mudaram sua postura devido aos ajustes da Premier League nos regulamentos do APT.

Apesar de receber várias reclamações sobre negociações com a EFL sobre o chamado New Deal for Football, a posição do Masters não está em perigo imediato. Ele está focado em lutar pela Premier League em várias frentes.

Além da votação desta semana, há muita insatisfação entre os clubes da primeira divisão em várias questões importantes, incluindo a aplicação das Regras de Lucro e Sustentabilidade, alterações propostas no sistema de empréstimos e o acordo financeiro a ser oferecido à EFL como parte do o novo acordo.

Outras divergências sobre futuros direitos televisivos e estratégias digitais deixaram os clubes tão divididos como estiveram nos 32 anos de história da Premier League. Mais pressão foi colocada sobre Masters depois que o executivo-chefe da primeira divisão defendeu chamar o Everton de “clube pequeno”.

Questionado se os 'grandes clubes' são tratados de forma diferente nas regras financeiras, depois que o Blues e o Forest enfrentaram acusações de violação das regras, Masters respondeu: "A direção padrão [para as regras de Lucro e Sustentabilidade] é para todos, não é apenas para os pequenos clubes." (via echo)

Categorias

Ver todas categorias

O Liverpool tem chances reais de título da PL?

Sim

Votar

Não

Votar

6684 pessoas já votaram