Texto por Colaborador: Redação 01/09/2023 - 04:00

Em uma confusão tardia de importância aparentemente maior do que na temporada passada - para aqueles que se esqueceram, o Liverpool contratou Arthur Melo por empréstimo no último dia do prazo, há um ano, apenas para o brasileiro jogar apenas 13 minutos antes de perder o resto da temporada devido a lesão -os Reds devem contratar um jogador que Jürgen Klopp desejava desde o verão passado, contratando Ryan Gravenberch do Bayern de Munique por £ 34 milhões (€ 40 milhões).

É uma mudança um pouco surpreendente, dada a composição do elenco atual, mas também é um nome bem conhecido por uma taxa surpreendentemente baixa e, no geral, representa uma entrada intrigante no mercado de transferências.

Ryan Jiro Gravenberch
Meio-campista | Bayern de Munique/Holanda
Data de nascimento: 16 de maio de 2002 (21) | Altura: 6'3” (190cm)
2022-23: 33 partidas (937 min) | 1g/1a

Pontos fortes: Como seria de esperar não apenas de um graduado da famosa academia do Ajax, mas também do vencedor do Troféu Abdelhak Nouri em homenagem ao jogador mais talentoso da academia, Ryan Gravenberch é tecnicamente excepcional. Um toque suave proporciona ao jovem de 21 anos um tremendo controle próximo e, quando combinado com fintas corporais convincentes, equilíbrio fenomenal e pés rápidos e móveis, você obtém um excelente driblador. Quando você coloca tudo isso em um quadro magro de 1,90m, você pode acabar com algo muito especial.

Gravenberch é excelente na recepção da bola, muitas vezes na meia volta em áreas lotadas, e na utilização de passos de hesitação e paradas falsas, juntamente com um primeiro passo surpreendentemente eficaz para passar pelos adversários e entrar em campo aberto.

Embora as restrições do conjunto de dados se apliquem a tudo o que se segue - o holandês jogou menos de 1.000 minutos pelo Bayern no ano passado - Gravenberch foi o sétimo entre os meio-campistas centrais da Bundesliga em corridas progressivas por 90 minutos na temporada passada, atrás de jogadores como Jude Bellingham, Leon Goretzka, Konrad Laimer e Kouadiou Koné. No Ajax, um ano antes de ingressar no Bayern, ele ficou em segundo lugar na Eredivisie em corridas progressivas por 90.

Quando decide progredir a bola no chão, o jovem de 21 anos consegue com grande regularidade, apresentando uma taxa de sucesso de drible de 57,9%. Apenas um jogador da Bundesliga completou mais dribles em maior proporção.

Quando não está movendo a bola pelo campo carregando-a, Gravenberch exibirá seu segundo atributo mais impressionante: seu passe. Legitimamente com dois pés, o graduado da academia do Ajax pode muito bem improvisar uma bola com o dedo do pé com a perna de fora ou acertar um cruzamento de 60 metros.

Qualquer que seja a técnica específica, Gravenberch está sempre procurando progredir com a bola e prospera com os corredores à sua frente. Apenas dois meio-campistas centrais na Bundesliga realizaram passes progressivos com mais sucesso em 90 minutos do que Gravenberch no ano passado, e eles foram Joshua Kimmich e Jude Bellingham. Rivais a altura.

Estas não são apenas progressões do meio-campo para o terço final, mas estendem-se até à área do adversário. De sua posição de meio-campo central, ele teve uma média de 3,44 ações de criação de chutes em passes abertos por jogo, mais do que qualquer outro meio-campista da liga. A capacidade de Gravenberch de encontrar companheiros de equipe ou um caminho para um chute se reflete em seus números esperados de gols e assistências, e seus 0,3 xG+xA em 90 o colocariam – por uma ampla margem – à frente de todos os meio-campistas do Liverpool que não se chamassem Harvey Elliott da ultima temporada.

Ele também pode entrar entre os gols, mas embora os destaques sem dúvida se concentrem no punhado na meia-cancha, Gravenberch tem apenas 13 gols na carreira em mais de 130 jogos e faz seu melhor trabalho quando tem a chance para dar o penúltimo toque em uma sequência de ataque.

Lendo a descrição acima - e perdendo qualquer contexto sobre o que o meio-campo do Liverpool está atualmente em falta - pode-se supor que estamos falando sobre o novo número 10 dos Reds, mas o fato é que Gravenberch tem aparecido em grande parte como um oito em um meio-campo três ou como parte de um pivô duplo ao lado de um parceiro mais defensivo, e ele faz grande parte de seu melhor trabalho como peça de ligação entre defesa e ataque.

Com os Reds aparentemente gritando por alguém que possa ganhar a bola, muitos estarão perguntando se ele pode defender. Nesse aspecto, é reconfortante saber que Ryan Gravenberch teve uma média de 4 desarmes e interceptações por 90 min. no ano passado, mais do que qualquer jogador do Liverpool, exceto Thiago, e bom para o sétimo lugar entre os meio-campistas centrais da Bundesliga.

O holandês atingiu a maioridade com um sistema de pressão agressivo sob o comando de Erik ten Hag sendo encarregado de substituir a produção de Frenkie De Jong em ambos os lados da bola depois que a estrela partiu para o Barcelona e embora os números do ano passado sejam retirados de uma pequena amostra e representam um aumento significativo – cerca de 30% – em relação à temporada anterior no Ajax, não há dúvidas de que o jovem de 21 anos conhece bem o lado físico do jogo e se lançará em duelos com regularidade.

Finalmente, com um peso atlético de 1,90, Gravenberch é uma presença considerável no ar. Embora ele não seja um fator importante na área no ataque a lances de bola parada - ele acertou um total de três disparos de cabeça em sua carreira até agora - ele tem uma taxa média de vitórias de 61% em duelos aéreos e fará com que seu tamanho seja importante ao lutar por lances aéreos no meio do campo ou na sua própria área.

Pontos de interrogação: Sempre que alguém puder escolher um jogador amplamente considerado um dos cinco meio-campistas mais talentosos e promissores do continente há um ano por uma ninharia relativa, haverá pontos de interrogação. Ryan Gravenberch não é exceção.

Apesar de ter sido cotado para grandes feitos desde o início - as comparações com Paul Pogba acompanharam Gravenberch durante anos - e de ter deixado a sua marca definitiva numa equipe impressionante do Ajax quando era adolescente, o holandês simplesmente não conseguiu ser titular numa equipe do Bayern em dificuldades. Pode haver circunstâncias atenuantes – o Sr. Competência social Julian Nagelsmann foi demitido sete meses após o início da temporada e Thomas Tuchel foi encarregado de limpar a bagunça em vez de construir para o futuro - mas os treinadores consecutivos do Bayern olharam para Gravenberch e, por alguma razão, decidiram que ele não deveria jogar.

Ainda não se sabe se um jogador não entendeu o que se espera dele em campo, simplesmente não começou bem ou se houve um choque de personalidades, mas é certamente um fator que vale a pena ter em mente.

Em segundo lugar, não está totalmente claro qual é o plano de colocar Gravenberch em campo pelos Reds. Embora tenha jogado em pivô duplo e sem dúvida possa defender, ele não é, e nunca foi, um jogador de triagem ou um cinco clássico. Colocar Gravenberch na base de um meio-campo três com Alexis Mac Allister e Dominik Szoboszlai à sua frente parece uma receita para empates de 5-5 e muitos eventos cardíacos.

Pode ser simplesmente o caso de um jogador extremamente talentoso estar disponível a uma taxa reduzida, um chamado ativo subvalorizado, e assim o clube vê-lo como representando uma grande relação qualidade/preço. Dizer isso, porém, faz com que pareça mais uma decisão de negócios do que uma jogada de futebol.

Para ser franco, o holandês fazia muito mais sentido como uma alternativa antes de Alexis Mac Allister ser contratado no início do verão do que como uma contratação adicional a ele, e portanto esta contratação não alivia a sensação de que o meio-campo dos Reds está indo na temporada com falta de aço defensivo e experiência.

Para tirar dúvidas sobre sua capacidade defensiva, alguns torcedores levantaram questões sobre se Gravenberch tem coragem de pressionar da maneira que se espera em um time de Jürgen Klopp. Na opinião de Audun Manum (redator do texto), as limitações do holandês a este respeito parecem ser em grande parte físicas, pois embora ele compreenda o acionamento dos gatilhos e persiga alegremente os portadores da bola quando estes entram na sua zona, ele simplesmente não tem o motor para fazê-lo durante 90 minutos.

Finalmente, embora seus passes sejam em grande parte uma grande vantagem para seu jogo, Gravenberch ocasionalmente terá partidas em que parece perder a forma ou a confiança e fará passes excessivos repetidamente, especialmente de longa distância, levando a oportunidades perdidas e frustração. Um jogo de passes longos mais consistente seria um próximo desenvolvimento maravilhoso para o jovem de 21 anos. Honestamente, porém, isso é minucioso. O produto em campo de Ryan Gravenberch é quase sempre extremamente impressionante.

Resumo: Os Reds contrataram um dos meio-campistas centrais mais talentosos que saíram da Europa nos últimos cinco anos a preço de banana, mas ainda não está totalmente claro exatamente onde e quanto ele vai jogar. Gravenberch é um jogador de futebol extremamente talentoso que sem dúvida proporcionará aos torcedores momentos - se tudo der certo, talvez até uma década inteira - de alegria, mas ele talvez não seja o que o Liverpool mais precisaria para melhorar seu onze inicial neste momento.

Ele é, no entanto, muito bom em muitas coisas. Esperamos que os Reds, como unidade, sejam bons o suficiente para que possamos aproveitar isso nesta temporada, em vez de nos arrependermos do que ele não é.

Matéria traduzida de liverpooloffside

Categorias

Ver todas categorias

Você aprova o nome de Slot para comandar o Liverpool no lugar de Klopp?

Sim

Votar

Não

Votar

2751 pessoas já votaram