Texto por Colaborador: Redação 18/09/2023 - 05:50

No sábado, o Liverpool recuperou de desvantagem para vencer o Wolves por 3 a 1 em Molineux, com remates de Cody Gakpo e Andy Robertson e um gol contra de Hugo Bueno garantindo a vitória após Hwang Hee-chan abrir o placar.

O resultado prolongou a invencibilidade do Liverpool para 16 jogos, estendendo-se até (e incluindo) um empate sem gols com o Chelsea, em 4 de Abril. Os Reds venceram 11 desses jogos, empatando os outros cinco, totalizando 38 pontos em 48 possíveis.

A equipa de Jürgen Klopp vive a mais longa sequência sem derrotas de qualquer equipe na Premier League, e de longe também. A derrota do Brentford fora para o Newcastle no sábado fez com que o time caísse para o último lugar da classificação (anteriormente estava em segundo lugar com seis) e promoveu o Spurs ao segundo lugar depois que a equipe de Ange Postecoglou marcou duas vezes em uma notável reviravolta nos acréscimos contra o Sheffield United.

Mesmo assim, o Spurs está atrás por 10 jogos nesta tabela de classificação em particular, com até o campeão Manchester City um jogo atrás. É importante destacar que a derrota do City aconteceu no último dia da temporada passada para o Brentford, quando já havia selado o título, mas mesmo assim a consistência recente do Liverpool é digna de elogio.

Na verdade, os Reds estão no meio da quinta maior invencibilidade da brilhante era Klopp. Se evitar a derrota nas próximas cinco partidas na competição (uma tarefa difícil porque inclui viagens para Spurs e Brighton), e eles igualarão períodos de 21 jogos em 2018 e 2022, dois de seus anos de maior sucesso. Mesmo assim, porém, eles não estariam nem a meio caminho do seu melhor registo de sempre, 44, alcançado entre Janeiro de 2019 e Fevereiro de 2020. Isso, aliás, resume a grandeza da equipe campeã da Liga dos Campeões e da Premier League.

Inevitavelmente, à luz de tudo isso, há quem questione se o Liverpool pode desafiar o campeão City pelo título nesta temporada. Tal como está, a diferença entre as duas equipes é de dois pontos, sendo os homens de Pep Guardiola a única a manter um registo 100 por cento vitorioso até este momento.

Durante a cobertura da TNT Sports sobre a vitória sobre o Wolves, o comentarista Jermaine Jenas foi questionado se ele acha que o Liverpool tem o que é preciso.

“Não acho que eles vão vencer, mas acho que podem estar lá para desafiar”, disse ele. "Para mim, o que importa é como os quatro defensores se acomodam. Se Klopp conseguir levá-los ao ponto em que estavam há alguns anos, será difícil marcar contra eles e estarão lá em cima."

Os comentários de Jenas devem nos indicar algumas notas de cautela. Em primeiro lugar, ainda existem lacunas nesta equipa como resultado de falhas no mercado de transferências. A escassez de zagueiros centrais confiáveis dos Reds foi exposta em Molineux, e permanecem preocupações sobre a ausência de qualquer número cinco especialista com pedigree genuíno. Sim, essas áreas podem ser tratadas em Janeiro, mas os danos já podem ter sido feitos nessa altura.

Em segundo lugar, a realidade é que o Liverpool só fez uma exibição completa de 90 minutos até agora, e isso aconteceu na vitória por 3-0 sobre o Aston Villa antes da pausa internacional. O Villa se prepara de uma forma um tanto única para um time intermediário superior, e a linha alta de Unai Emery definitivamente fez um favor ao anfitrião.

Além disso, o Liverpool teve que aguentar alguns períodos na estreia contra o Chelsea, que desde então perdeu para o West Ham e o Nottingham Forest, embora não tenha sido totalmente convincente antes do duro cartão vermelho de Alexis Mac Allister contra o Bournemouth, mesmo que tenha lutado de volta para liderar por 2-1. Na verdade, acabou mais impressionante quando passou a ter a desvantagem numérica.

É difícil julgar uma equipe com 10 jogadores, mas contra o Newcastle isso se deveu aos erros do próprio Liverpool, e não a qualquer erro de arbitragem, já que Trent Alexander-Arnold e Virgil van Dijk vacilaram. Os Magpies eram preocupantemente dominantes quando estavam 11 contra 11.

Depois houve o jogo contra o Wolves no sábado, quando o Liverpool se recuperou de forma confiável no segundo tempo, mas viu a vulnerabilidade de contra-ataque que o atormentou na temporada passada ser explorada novamente em um primeiro 45 desanimador.

Até que o Liverpool comece a controlar os jogos de forma consistente, isso não deveria ser levado em consideração na equação do título.

No entanto, o maior impulso até agora nesta temporada é que a resiliência da equipe, que desapareceu visivelmente no meio da crise de identidade do ano passado, regressou. Já venceu três jogos em posições perdidas, igualando o registo de toda a temporada de 2022/23.

Encontrar uma forma de obter resultados quando estão muito longe do seu melhor tem sido uma característica dos anos de conquista de troféus dos Reds, e se conseguirem manter esse espírito ao longo da campanha, irão pelo menos dar um grande passo em frente.

Via Liverpool.com

Categorias

Ver todas categorias

Você aprova o nome de Slot para comandar o Liverpool no lugar de Klopp?

Sim

Votar

Não

Votar

2751 pessoas já votaram