Texto por Colaborador: Redação 20/02/2024 - 00:35

Seria fácil para os torcedores do Liverpool ficarem desanimados com a onda de preocupações com lesões que assola o time neste momento, mas Neil Jones deu uma nota positiva que vale a pena prestar atenção.

Paul Joyce, do The Times, informou na seguinda-feira (19) que Diogo Jota e Curtis Jones perderão a final da Carabao Cup no próximo fim de semana, depois de ambos terem saído mancando da vitória sobre o Brentford no sábado, com o atacante português devendo ficar afastado por até dois meses.

No entanto, falando ao EOTK Insider, Neil Jones destacou que os Reds já lidaram com vários problemas de lesões nesta temporada para ocupar o topo da Premier League quase dois terços da temporada.

O jornalista destacou: “Eles [jogadores lesionados] farão falta, mas o Liverpool mostrou durante toda a temporada que tem o elenco necessário para lidar com isso. Olhe antes do jogo [com o Brentford], quando a notícia de Alisson Becker foi divulgada, então Caoimhin Kelleher jogou muito bem.

“As pessoas diziam que o Liverpool não sobreviveria sem Trent Alexander-Arnold e então Conor Bradley chegou ao ponto de que, quando Trent voltou, as pessoas disseram que ele possivelmente não deveria voltar imediatamente, com Joel Matip se machucando e Jarell Quansah substituindo.

“Não tenho dúvidas sobre a capacidade desta equipe do Liverpool em lidar com lesões, mas gostaria de ver as melhores notícias possíveis para Jota e Jones. Não creio que seja uma boa notícia para Jota em particular.

“Você quer evitar muitos mais porque chega um ponto em que você não aguenta mais ausências, mas não acho que o Liverpool esteja lá ainda.”

Jones faz questão de dizer que toda vez que uma barreira aparentemente calamitosa foi colocada na frente do Liverpool na forma de uma lesão significativa, eles encontraram uma maneira de contorná-la com alguém que se apresentou de forma louvável.

Kelleher, Bradley e Quansah são três exemplos de destaque, junto com Joe Gomez atuando de forma brilhante na lateral-esquerda quando Andy Robertson e Kostas Tsimikas foram afastados, e Jota preenchendo sem esforço o vazio deixado pela ausência de Mo Salah no mês passado.

Foi essa profundidade do plantel que permitiu aos Reds permanecerem no caminho para um potencial quádruplo nesta temporada, mas como o jornalista diz com razão, o ponto de inflexão em termos de lesões em Anfield não pode estar longe.

Também não ajuda o fato de disputarmos oito jogos até 17 de Março, um período que deverá fazer os adeptos fazerem caretas sempre que um jogador permanecer no chão por mais de alguns segundos.

Se o Liverpool conseguir chegar ao próximo mês com suas esperanças na Liga Europa e na Copa da Inglaterra ainda intactas e permanecendo na liderança da Premier League, o time terá feito um trabalho notável, considerando quantas ausências por lesão nos afligem neste momento.

 

Categorias

Ver todas categorias

Rúben Amorim é o nome certo para substituir Klopp?

Sim

Votar

Não

Votar

68 pessoas já votaram