O Liverpool ainda está programado para perder Mohamed Salah, Naby Keita e Sadio Mane para a Copa das Nações da África de 2022 - apesar das reivindicações de adiamento.

Mas o órgão dirigente do Futebol Africano afirmou que "atenção urgente" é necessária em algumas áreas por parte dos anfitriões Camarões antes que a competição comece no início de janeiro.
 
Foi sugerido nas redes sociais na terça-feira que o evento seria cancelado devido a "problemas de infraestrutura" no país anfitrião.
 
Isso teria sido visto como um impulso potencial para o Liverpool, que deve ficar sem Mane, Keita e Salah, com todos os três convocados por seus respectivos países, Senegal, Guiné e Egito.
 
Um comunicado de imprensa da Confederação Africana de Futebol revelou que nenhum cancelamento faz parte das discussões, até o momento.
 
No entanto, foi detalhado que ainda há muito trabalho a ser feito em algumas áreas após uma videoconferência entre o comitê organizador local e os executivos do CAF na segunda-feira.
 
Em reunião presidida pelo presidente da CAF, Dr. Patrice Motsepe, foi sugerido que ainda são necessárias conversas com os organizadores da competição em Camarões antes de 9 de janeiro.
 
“O Comitê Executivo recebeu um relatório abrangente da delegação do Comitê Organizador da CAF liderada pelo Vice-Presidente Augustin Senghor e o Secretário Geral, Veron Mosengo-Omba, que visitou recentemente os Camarões”, diz o comunicado.
 
"O Comitê Executivo tomou nota do relatório e do progresso feito até o momento.
 
“O EXCO enfatizou a necessidade de fazer um acompanhamento com o comitê organizador local nas áreas que ainda precisam de atenção urgente antes do início em 9 de janeiro de 2022.
 
“Sobre a situação da Copa das Nações Africanas e da COVID-19 e os preparativos para os torcedores, o EXCO levantou algumas questões sanitárias que farão parte das discussões em andamento entre a CAF e o Governo dos Camarões”.
 
No início deste mês, foi relatado como o Liverpool poderia perder Salah, Mane e Keita por até oito jogos no Ano Novo.
 
Os convocados, de acordo com o The Athletic, podem muito bem partir para a África após os jogos do Boxing Day da Premier League e não retornarão até a segunda semana de fevereiro, caso sua equipe vá até os Camarões.
 
As regras da FIFA estabelecem que "os jogadores devem ser liberados e começar a viajar para sua equipe representativa o mais tardar na manhã de segunda-feira na semana anterior à semana em que começa a competição final relevante".
 
Com os anfitriões Camarões enfrentando Burkina Faso na estreia no domingo, 9 de janeiro, essa data será 27 de dezembro.
 
O Liverpool ainda não decidiu quando vai liberar seus jogadores com discussões a serem realizadas mais perto da hora.
 
Mas o técnico Jurgen Klopp estará extremamente relutante em perder o trio por mais tempo do que o absolutamente necessário.
 
Durante o AFCON 20202, o Liverpool jogou contra o Leicester City em 28 de dezembro, antes de uma visita ao Chelsea em 2 de janeiro ser seguida por uma hospedagem no Brentford duas semanas depois.
 
Além das viagens a Crystal Palace e Leicester pela Premier League, a terceira rodada da FA Cup também começa em 8 de janeiro, enquanto a semifinal da Copa da Liga deve ser disputada durante o torneio africano.
 
O Liverpool ainda não confirmou tais planos, mas pagar por um jato particular para levar seus astros de volta a Merseyside pode ser uma opção, algo que foi realizado em 2017, depois que o Senegal de Mane foi eliminado no Gabão.