Com  uma vitória suada e com recorde: o Liverpool venceu seu 18º jogo seguido no Campeonato Inglês, maior sequência de vitórias da história da Premier League, igualando a marca do Manchester City, alcançada na temporada 2017/2018.

Essa foi mais uma vitória do Liverpool em sua inevitável marcha rumo ao título da Premier League, mas raramente pressionada nesta temporada. O West Ham, ameaçado pelo rebaixamento, foi notável, após uma temporada de mais baixos que altos, mas mostrou intenso compromisso, ameaçando as chances do Liverpool de permanecer invicto na liga.

Ainda assim, o Liverpool - da mesma forma como sempre - encontrou um caminho com o substituto Alex Oxlade-Chamberlain fazendo a diferença, o que significa que eles precisam de apenas mais quatro vitórias para garantir seu primeiro título em 30 anos. Se o time de David Moyes continuar com um desempenho como esse, não seguirá desesperado por muito mais tempo, enquanto talvez o Liverpool precisasse desse tipo de sacudida.

Com Jordan Henderson e James Milner lesionados - este último deixado de fora por precaução -, foi uma oportunidade para Naby Keita, que não conseguiu render o esperado.

David Moyes e West Ham certamente merecem algum crédito pela forma como abordaram este jogo. Mesmo no primeiro tempo, com menos de 30% de posse, eles foram uma ameaça de ataque. Nos primeiros 15 minutos do segundo tempo, eles eram confortavelmente o melhor time e mereciam a vantagem de 2-1. Mas, então, Moyes voltou a uma posição defensiva, retirou Felipe Anderson e voltou a chutar bolas longas na testa de Sebastian Haller, enquanto o Liverpool fez a pressão resultante aumentar. Fabianski pode ter cometido dois erros terríveis, mas continua sendo um excelente goleiro. Ele também fez algumas grandes defesas aqui, embora isso seja ofuscado.

O Liverpool não jogou bem, chegou a estar perdendo por 2 a 1 no segundo tempo, mas na base da pressão, empurrado pela torcida, chegou ao empate graças a um frango do goleiro Fabianski em chute de Salah, e virou aos 35 com um gol do senegalês Sadio Mané.

Os Vermelhos nunca conquistaram a Premier League. Seu último título inglês foi em 1990. O fim da longa espera da torcida parece apenas questão de tempo. Com 24 pontos de vantagem sobre o vice-líder Manchester City, faltando 11 rodadas, o Liverpool já está em contagem regressiva para garantir matematicamente a taça: faltam apenas quatro vitórias. Se continuar no embalo, a festa será no dia 21 de março, contra o Crystal Palace, pela 31ª rodada. O próximo jogo será frente o Watford, fora de casa, no dia 29/2.

GOLS

Wijnaldum 9′ (assist – Alexander-Arnold)
Diop 12′ (assist – Snodgrass)
Fornals 54′ (assist – Rice)
Salah 68′ (assist – Robertson)
Mane 81′ (assist – Alexander-Arnold)

LIVERPOOL 3X2 WEST HAM

Liverpool: Alisson; Alexander-Arnold, Gomez, Van Dijk, Robertson; Fabinho, Wijnaldum, Keita (Oxlade-Chamberlain 57′); Salah, Mane (Matip 90+1′), Firmino.

West Ham: Fabianski; Ngakia, Diop, Ogbonna, Cresswell; Rice, Noble, Soucek (Fornals 47′); Snodgrass (Bowen 84′), Anderson (Haller 67′), Antonio.