Um dos acordos comerciais mais discutidos no futebol nos últimos anos finalmente foi lançado oficialmente e o especialista em finanças do futebol, Mo Chatra, explora o quão lucrativo pode ser para o Liverpool.

A coisa mais incomum no acordo do Liverpool com a Nike é a figura básica relativamente pequena do contrato - 30 milhões de libras, o que representa apenas um aumento de 2 milhões de libras em relação ao acordo anterior da New Balance.

Também vale a pena notar que o acordo da New Balance gerou £ 64 milhões para o Liverpool na temporada 2018/19 e provavelmente excederá £ 70 milhões pelos resultados da temporada 2019/20.

Isso se deve aos enormes números de vendas de material: 1,8m na temporada 18/19 e 2,9m na temporada 19/20. Também é preciso adicionar a esses números a receita de outras mercadorias (roupas de treinamento, roupas casuais e calçados).

Durante o tribunal com a New Balance, a Nike revelou que eles têm como meta 2,9 milhões em vendas, antes da NB divulgar os números apresentados acima.

O que sugere que a Nike subestimou claramente o poder atual do Liverpool no mercado, pois a NB conseguiu atingir esses números mesmo sem os imensos recursos de marketing e publicidade que a Nike claramente tem.

O acordo com a Nike afirma que o Liverpool ganhará 20% de todas as vendas líquidas, tanto em lojas oficiais quanto em lojas de terceiros.

Vamos agora supor que a Nike conseguirá atingir 3 milhões em vendas (o que eles provavelmente farão), com o Liverpool ganhando ~ 12 libras por camiseta. Isso resulta em 36 milhões de libras. Além disso, adicione versões mais caras, estima-se, trariam £ 3 milhões extras.

Isso já resulta em £ 69 milhões (valor base de £ 30 milhões + vendas de £ 39 milhões). E aqui estão todas as vendas que não são do uniforme (que serão especialmente grandes se os Reds conseguirem uma colaboração com a Jordan).

No pior cenário, tudo isso combinado facilmente ultrapassará a marca de £ 75 milhões. Mas tem potencial para atingir 100 milhões de libras, se as vendas da Nike aumentarem e as mercadorias que não pertencem aos camisetas chegarem aos fãs.