O sonho do bicampeonato continental foi adiado nesta quarta-feira (11), após o Liverpool ter colocado uma das mãos na vaga as quartas, tendo conquistado o 2 a 0 na prorrogação. Tudo foi para o ralo, no entanto, quando Adrian cometeu uma falha bizarra (além de não salvar em nenhum momento) e recoloar o time de Diego Simeone no confronto, para um banho d'água fria em todas as almas vermelhas.

O Liverpool matou o Atlético de Madri por 95 minutos, jogando com uma incrível implacabilidade, e finalmente seguiu em frente com o gol de Roberto Firmino no início da prorrogação. Mas um erro desesperado de Adrian levou ao primeiro gol de Marcos Llorente, que colocou o Atlético à frente graças ao saldo como visitante, e eles marcaram mais dois em um final surreal.

Eles mal tiveram um ataque no tempo normal. Mas a resiliência defensiva foi extraordinária, porque o desempenho do Liverpool teria derrotado muitas equipes por cinco ou seis. Se alguma vez houve uma equipe à imagem de seu técnico...

O Liverpool sabia que sofrer um gol era uma possibilidade, por mais que controlassem esse tumulto na Liga dos Campeões, por mais que dominassem em termos de posse e chances. Embora as margens permaneçam reduzidas, isso pode acontecer.

O Liverpool deveria ter vencido este jogo várias vezes. Eles atacaram em ondas, golpeando o Atlético, testando sua resistência ao limite. O jogador mais influente em campo foi o goleiro visitante, Jan Oblak, que fez uma série de excelentes defesas. A equipe de Klopp também teve várias chances, nenhuma mais do que o cabeceamento de 67 minutos que Andy Robertson bateu na trave quando gloriosamente colocado.

E assim o Liverpool teve um revés em casa pela primeira vez em 18 meses. Eles experimentaram uma derrota por nocaute na Europa com Klopp pela primeira vez. E, o mais emocionante, eles sentiram o aperto no troféu da Liga dos Campeões que conquistaram em maio passado. Eles devem garantir o primeiro título da liga desde 1990 nos próximos dias ou semanas e, com o tempo, isso será o maior negócio de uma temporada fenomenal. Aqui havia apenas frustração.

Nem o planejamento quase impecável dos Reds durante esses anos se mostrou perfeito, com o clube pagando a conta de maneira brutal ao tentar poupar alguns míseros milhões na contratação de um goleiro reserva a altura.  

 GOLS

Wijnaldum 44′ (assist: Oxlade-Chamberlain)
Firmino 94′ (assist: Firmino)
Llorente 96′
Llorente 105′
Morata 120′

LIVERPOOL 2X3 ATLÉTICO DE MADRID

Liverpool: Adrian; Alexander-Arnold, Gomez, Van Dijk, Robertson; Henderson (Fabinho 106′), Wijnaldum (Origi 106′), Oxlade-Chamberlain (Milner 81′); Salah, Mane, Firmino (Minamino 112)

Atletico: Oblak; Tripper (Vrsaljko 91′), Savic, Felipe, Lodi; Correa (Gimenez 106′), Thomas, Saul, Koke; Costa (Llorente 56′), Joao Felix (Morata 103′)