Texto por Colaborador: Redação 22/09/2022 - 23:50

Alisson Becker e Ederson Moraes são como ervilhas na vagem. Brasileiros e nascidos com menos de um ano de diferença, os goleiros titulares de Liverpool e Manchester City são muito confortáveis com a bola, com um alcance de passe que deixaria alguns meio-campistas envergonhados.

Eles são igualmente hábeis em desempenhar o papel de varredor, permitindo que suas equipes defendam no alto do campo e comprimam o espaço na metade adversária. Não é exagero dizer que os dois melhores times da Inglaterra (e talvez da Europa e do mundo) não poderiam jogar da maneira que jogam de forma consistente sem seus arqueiros de escolha.

No entanto, os dois homens diferem em um aspecto crucial de seu papel, pelo menos ultimamente. Um novo artigo no Total Football Analysis mostrou que Alisson esteve apenas um pouco acima da média para a porcentagem de defesas recentemente. Isso não parece estar correto, mas é o que os dados dizem. Se isso parece estranho, considere que Ederson foi o terceiro pior goleiro para essa métrica na Premier League.

Se você os considera ou não os melhores absolutos da primeira divisão da Inglaterra, a maioria das pessoas assumiria que os dois brasileiros estavam no mínimo perto do pelotão principal. Isso não foi apenas um problema para eles nas primeiras semanas de 2022/23. De acordo com a FBRef, Alisson esteve apenas no 29º percentil de goleiros das cinco principais ligas da Europa em porcentagem de defesas nos 365 dias anteriores, enquanto Ederson é ainda menor (22º).

Com a forma que o jogador do Liverpool exibiu no final da temporada passada, isso também parece estranho. Em muitas ocasiões, um atacante da oposição foi limpo, apenas para se ver incapaz de superar o brasileiro no gol dos Reds. A experiência de Alisson em um contra um significava que esses momentos nem sempre levavam a chutes (excluindo-os assim da métrica de porcentagem de salvamento simples), mas ainda não parecia que ele era "espancado" com muita frequência. De fato, ele foi de longe o melhor goleiro da Premier League em tais situações na última temporada.

Talvez o que estamos vendo neste termo seja apenas a temida regressão à média, a inevitabilidade estatística à qual os jogadores em dificuldades se apegam enquanto aqueles em sequências quentes tentam não pensar. Não é que Alisson também não tenha tido bons momentos nesta temporada: eles apenas foram menos memoráveis.

Ele salvou uma chance clara de Wilfried Zaha, o que impediu o Liverpool de perder por 2 a 0 no primeiro tempo contra as águias. Os Reds só perderam por dois no intervalo em nove jogos em casa na era da Premier League, e nunca sob o comando de Jürgen Klopp. Após a decepção do empate 2-2 com o Fulham, fazê-lo na estreia em Anfield de 2022/23 poderia ter sido catastrófico.

Becker também evitou uma "grande" chance definida pela Opta em Old Trafford, embora, como o Liverpool já estivesse perdendo por dois gols, fosse um pouco discutível. Muito mais crucial foi sua defesa de Neal Maupay no último jogo dos Reds na liga. O gol anulado de Conor Coady ofuscou o momento até certo ponto, mas o ex-jogador de Brighton poderia ter dado ao Everton uma vantagem da qual teria sido difícil se recuperar.

Enquanto o Manchester City concedeu menos oportunidades de alto valor, Ederson salvou apenas duas delas. Uma estatística diferente preocupará Pep Guardiola com mais urgência do que a forma de parar o seu número 31. No modelo de gol esperado pós-chute da Statsbomb (que explica o poder e a colocação dos esforços no alvo), a média de chutes enfrentados por um goleiro da Premier League valeu 0,31 PSxG até agora nesta temporada.

Mas Alisson (0,29) e Ederson (0,37) ficam para os dois lados dessa marca, o que ajuda a explicar por que o primeiro tem a melhor porcentagem de defesas – em média, os chutes que enfrentou foram mais fáceis de manter. Se você acha que o Liverpool realmente só permite boas chances aos adversários, no Manchester City é ainda pior. Se for justo descrever isso como uma rachadura na fachada dos campeões, os gols ide Erling Haaland podem estar encobrindo isso. Afinal, não é apenas o Liverpool com problemas defensivos – e quando Klopp se senta para tentar dissecar o que está dando errado, o departamento de goleiros deve estar bem abaixo de sua lista de prioridades.

Categorias

Ver todas categorias

Nunez tem condições de repor a saída de Mane?

Não

Votar

Sim

Votar

617 pessoas já votaram