Texto por Colaborador: Redação 31/03/2024 - 00:50

O Fenway Sports Group declarou publicamente a sua ambição de aumentar o seu portefólio de futebol e ficará satisfeito com a mais recente alteração das regras da UEFA - mesmo que não seja universalmente popular.

O negócio de propriedade de vários clubes só aumenta a cada temporada, mas ainda há muitas críticas quando se trata do modelo.

Isso não impediu a FSG de se diversificar, tendo nomeado Michael Edwards como seu CEO de futebol com a missão de trabalhar no Liverpool e adquirir e supervisionar um segundo clube.

Os proprietários do clube procuram o diretor técnico do Benfica, Pedro Marques, para ajudar na sua aquisição, da qual existem ligações à América do Sul e à Europa.

Uma grande preocupação com a propriedade de vários clubes era a perspectiva de a UEFA proibir os clubes de competir na Europa caso tivessem os mesmos proprietários de outra equipe qualificada.

Mas foi agora feito um ajuste nos regulamentos da UEFA que permitirá que clubes com os mesmos proprietários joguem na Europa, apenas precisarão de estar em competições diferentes.

Por exemplo, caso o Man United e o Nice, ambos sob o controle de Jim Ratcliffe e INEOS, se classificassem para a Liga Europa, o time mais bem classificado permaneceria nessa competição enquanto o outro joga na Liga Conferência.

Atualmente, seria o United quem faria a queda – apenas dizendo.

A ligeira alteração aos regulamentos entra em vigor a partir da próxima temporada, quando a UEFA renova as suas competições – e não necessariamente para melhor!

O afrouxamento dos regulamentos não será popular para muitos, pois é um terreno escorregadio e a integridade será sempre questionada, mas o Liverpool sente claramente que o modelo multiclubes é o caminho a seguir.

Edwards explicou após seu retorno: “Acredito que para permanecer competitivo é necessário investimento e expansão do portfólio atual do futebol”.

via this is anfield

Categorias

Ver todas categorias

Rúben Amorim é o nome certo para substituir Klopp?

Sim

Votar

Não

Votar

68 pessoas já votaram