Texto por Colaborador: Redação 24/03/2024 - 00:10

Um grupo de torcedores do Liverpool foi indenizado pela Uefa após alegar que se machucaram ou ficaram com traumas psicológicos em cenas caóticas da final da Liga dos Campeões de 2022.

A Uefa foi considerada a “responsável principal” pelo que quase levou a uma “catástrofe de mortes em massa” em Paris.

Os torcedores foram cercados e pulverizados com gás lacrimogêneo do lado de fora do Stade de France, já que o pontapé inicial foi adiado em 36 minutos.

Na sexta-feira, a Uefa disse que havia acertado “um acordo total e final” com os torcedores.

O acordo diz respeito aos apoiantes do Liverpool – anteriormente relatados como um total de 1.450 requerentes – que foram representados num processo judicial movido pela empresa de advogados global Pogust Goodhead e pelo escritório de advogados de Liverpool Bingham Long.

Tanto a Uefa quanto as equipes jurídicas disseram que o valor da indenização recebida pelos torcedores permaneceria confidencial.

Os apoiadores “aceitaram” e “acolheram bem” a oferta, disseram seus escritórios de advocacia.

O Liverpool enfrentou o Real Madrid em maio de 2022 pelo prêmio de ser coroado campeão europeu.

Muitos torcedores dos Reds falaram sobre as longas filas nas horas que antecederam o jogo, que o Liverpool acabou perdendo por 1 a 0, e sobre a resposta pesada da polícia ao acúmulo de torcedores que não conseguiram entrar no Stade de France.

Os fãs foram atacados com gás lacrimogêneo pela polícia, ao mesmo tempo em que foram atacados e roubados por moradores locais que tiveram permissão de se reunir nas proximidades.

A Uefa e as autoridades francesas inicialmente culparam os torcedores sem ingressos pelos eventos.

Em fevereiro de 2023, o relatório independente anunciou que considerou a Uefa responsável por “cenas caóticas” que “quase levaram ao desastre”.

O relatório traçou paralelos com o desastre de Hillsborough em 1989, quando 97 torcedores do Liverpool morreram nas semifinais da Copa da Inglaterra contra o Nottingham Forest, após serem esmagados por causa da superlotação.

"As partes concordaram com os termos desta declaração, mas os termos do acordo permanecerão confidenciais", disse a Uefa, que organiza jogos da Liga dos Campeões como órgão dirigente do futebol europeu.

"O acordo foi feito sem qualquer admissão de responsabilidade.

"A Uefa está satisfeita por ter chegado a uma posição comum que espera proporcionar um encerramento para os torcedores."

via BBC

Categorias

Ver todas categorias

Rúben Amorim é o nome certo para substituir Klopp?

Sim

Votar

Não

Votar

68 pessoas já votaram