Texto por Colaborador: Redação 03/12/2022 - 17:28

Uma parceria saudita-catariana está "planejando" oferecer ao Fenway Sports Group um máximo de £ 4 bilhões para adquirir a propriedade do Liverpool, de acordo com relatórios do Oriente Médio. Após informações obtidas pelo Daily Mail no fim de semana passado deque os proprietários americanos dos Reds haviam "mantido negociações" com dois consórcios sediados no Oriente Médio sobre uma potencial aquisição do clube, a publicação Albawaba, com sede na Jordânia, afirmou que o ex-internacional da Arábia Saudita Saeed Al-Owairan divulgou planos para uma possível oferta combinada saudita-catar pelo Liverpool.

Falando sobre o programa egípcio Remontada, Albawaba verificou que Owairan confirmou a construção de uma parceria entre os dois países do Oriente Médio. No entanto, nenhum detalhe adicional foi revelado sobre como uma potencial candidatura para os 19 vezes vencedores do título da liga poderia parecer.

A Arábia Saudita adquiriu o Newcastle United, da Premier League, em outubro de 2021, depois que um processo de longa data foi autorizado depois que o Fundo de Investimento Público do condado, que agora possui 80% dos Magpies e apoia um consórcio liderado por Amanda Staveley, conseguiu passar no Teste de Proprietários e Diretores da Premier League, apesar dos terríveis problemas de direitos humanos da região.

Enquanto isso, o estado do Golfo do Catar, que atualmente sedia a Copa do Mundo da FIFA de 2022, está envolvido na propriedade dos gigantes franceses e da Ligue 1, Paris Saint-Germain, por meio da organização acionária Qatar Sports Investments.

A FSG enviou ondas de choque ao redor do mundo no início de novembro, quando se abriu para uma potencial venda parcial do Liverpool, mas também se recusou a descartar a possibilidade de uma venda total do ativo que comprou por apenas £ 300 milhões em 2010.

E uma reportagem no jornal Boston Globe, que é de propriedade de John Henry, FSG foram ditos estar considerando uma venda parcial do clube para ajudar a financiar transferências e outros investimentos.

Em um comunicado enviado pelo ECHO, a FSG abordou os relatos de um potencial, que primeiro foi quebrado por David Ornstein, do The Athletic, mas também reafirmou seu compromisso com as operações em Merseyside.

"Houve uma série de mudanças recentes de propriedade e rumores de mudanças na propriedade dos clubes da EPL e, inevitavelmente, somos questionados regularmente sobre a propriedade do Fenway Sports Group em Liverpool", diz um comunicado do grupo americano, liderado pelo principal proprietário John W. Henry.

"A FSG tem recebido frequentemente manifestações de interesse de terceiros que buscam se tornar acionistas em Liverpool. A FSG disse antes que, nos termos e condições corretos, consideraríamos novos acionistas se fosse do melhor interesse do Liverpool como clube.

"A FSG continua totalmente comprometida com o sucesso do Liverpool, dentro e fora de campo."

Nas últimas semanas, Mike Gordon, que era o membro mais prático da FSG em Anfield, delegou grandes partes de suas responsabilidades ao CEO Billy Hogan enquanto explorava possíveis partes interessadas em investir em Merseyside. Os bancos americanos Goldman Sachs e Morgan Stanley estão ajudando no processo. (Via liverpoolecho)